CANÇÕES DE ABRIL E POLIFONIAS TRADICIONAIS DO MINHO
O Grupo Folclórico da Universidade do Minho foi fundado a 22 de junho de 1993, integrando as festas sanjoaninas da cidade de Braga. A sua criação prende-se com os objetivos de recolha, preservação e divulgação da cultura popular do Baixo Minho. Desta forma, contribui para o enriquecimento da esfera cultural da academia minhota e da cidade de Braga, assumindo um papel de legítimo defensor deste património cultural. Com o seu trabalho dá a conhecer as mais variadas manifestações típicas do povo minhoto: o trajar, o cantar e o dançar nos finais do séc. XIX e inícios do séc. XX, procurando despertar na juventude da academia o seu respeito e valorização. No seu historial, destaca-se o trabalho que tem vindo a realizar no âmbito da valorização e promoção das polifonias tradicionais minhotas, à capella, a duas, três ou mais vozes, sobrepostas, em movimento paralelo, num reportório legado pela sociedade agrária tradicional. Desta forma integra a candidatura do “Canto a Vozes” a Património Imaterial da Humanidade, reforçando a sua divulgação e salvaguarda. O Grupo Canto D’Aqui pretende com este concerto levar o público a uma viagem musical, pelo “25 de Abril” e lembrar aqueles que cantaram e impulsionaram, através da música, a Revolução de abril de 1974, marco histórico da República Portuguesa. Concerto com a sonoridade e o cariz tradicional dos instrumentos e das vozes do grupo Canto D’Aqui, numa homenagem com temas que marcaram uma época, lembrando Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Vitorino, Fausto, Sérgio Godinho, entre outros amigos, cujas emoções perduram na atualidade.